Curso para Domésticas

Em PDF
96 Páginas
R$ 25,00

Depósito em Conta Corrente Itau
Ou Boleto.

ÍNDICE

1ª PARTE: POSTURA PROFISSIONAL
Postura e atendimento profissional;
Apresentação e asseio pessoal

2ª PARTE: PLANEJAMENTO DAS TAREFAS
Planejamento das tarefas diárias
Lista de compras produtos de limpeza e acessórios

3ª PARTE: LIMPEZA E ORGANIZAÇÃO DOS CÔMODOS
Salas: vidros, móveis, estofados, pisos, decorativos, eletroeletrônicos, plantas;
Quartos: organização geral, arrumação da cama;
Banheiros: limpeza de cada módulo, pia, box, banheira, vaso sanitário, piso, bancada, espelho;
Cozinha: lavagem de louças, limpeza de cada módulo, conservação dos eletrodomésticos, organização da geladeira, organização da despensa;
Lavanderia: limpeza e organização geral.

4ª PARTE: ATITUDES ECONÔMICAS E RECICLAGEM

5ª PARTE: COPEIRA
Postura e atendimento;
Regras gerais;
Colocação de mesa: modo formal
Colocação de mesa: modo informal

6ª PARTE: LAVADORIA E PASSADORIA
Separação das peças
Reconhecimento dos símbolos das etiquetas
Remoção das manchas
Dicas de lavagem
Dicas e Sugestões
Passadoria de camisas sociais, lençóis de elástico, calças com bolsos laterais

7ª PARTE: CULINÁRIA CASEIRA FÁCIL
Higiene e aspecto pessoal
Planejamento básico de cardápio
Receitas

Como congelar alimentos preparados em casa

Veja dicas de como congelar os alimentos preparados em casa 

Economizar, não depender da tele-entrega e, principalmente, deixar a vida mais prática. 

Os benefícios de comer alimentos congelados são muitos, mas quem opta pelas opções prontas do supermercado acaba sofrendo também com o cardápio repetitivo e repleto de conservantes.

Uma prática que tem se tornado cada vez mais comum nas famílias é congelar alimentos preparados em casa. Tanto para evitar desperdícios em uma refeição que sobrou quanto para planejar a alimentação da semana, congelar pode ser uma ótima solução, desde que sejam observadas algumas dicas.

A primeira regra é jamais recongelar um prato que foi descongelado. Por isso, recomenda-se congelar os alimentos em porções individuais, suficientes para uma refeição. Podem ser usados potes de diferentes tamanhos ou saquinhos plásticos bem fechados.

Se você optar por potes, procure encher até a beira com o alimento a ser congelado ou colocar um papel alumínio entre o alimento e a tampa, evitando o contato da comida com o ar. Quem optar por saquinhos deve tirar o ar manualmente ou com a ajuda de uma bombinha. Para fechar, você pode usar um selador a pilha, que ajuda ainda mais na conservação, arames revestidos de plástico ou clipes que evitam a entrada e saída do ar.

Praticamente qualquer alimento pode ser colocado no freezer (confira a lista dos não-recomendados ao final do texto), mas cada um pode ser mantido congelado por um intervalo de tempo diferente. Por isso, é importante anexar etiquetas com nome do alimento e a “data de validade” aproximada. Para ajudar no cálculo, confira a lista a seguir:

Tempo de conservação: 
  • Carne bovina: 12 meses
  • Hamburgers: 3 meses
  • Carne de porco: 6 meses
  • Linguiça e salsicha: 2 meses
  • Bacon: 2 meses
  • Pães: 4 meses
  • Bolo simples: 8 meses
  • Sopa: 6 meses
  • Massas: 3 meses
  • Pizza preparada (queijo): 3 meses
  • Pizza preparada (carnes): 1 mês
  • Pastéis, coxinhas e croquetes: 3 meses
  • Frango: 9 meses
  • Peru: 8 meses
  • Legumes e verduras: 12 meses
  • Frutas: 9 meses
Descongelamento

Para descongelar, evite deixar água correndo sobre o alimento. O ideal é passar o congelado do freezer para a geladeira por algumas horas, ou, se não for possível, diretamente para o forno ou microondas. No micro, alguns acessórios tornam o processo mais prático. O kit de aquecimento leva a refeição do microondas direto à mesa, e a tampa universal pode ser usada no freezer ou no microondas, isolando o alimento.

Alimentos que não devem ser congelados:
  • Maionese
  • Saladas cruas
  • Gelatinas
  • Claras em neve ou cozida
  • Batatas cozidas
  • Ovos cozidos
  • Pudins cremosos
  • Creme de Leite
(fonte: www.livrodereceitas.com.br)

Fonte: www.organizesuavida.com.br. 

Modelo de Contrato de Trabalho



Pelo presente instrumento, as partes: (nome), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), titular do CPF nº (....................), RG (..................), residente na Rua (endereço) que, por força do presente contrato passa a ser denominado (a) EMPREGADOR(A) DOMÉSTICO(A), e (nome), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), titular do CPF nº (......................), RG (....................), residente na Rua (endereço), doravante designado(a) EMPREGADO(A) DOMÉSTICO(A), firmam o presente CONTRATO DE TRABALHO DOMÉSTICO, nos termos da Lei nº 5.859, de 11 de dezembro de 1972, com as alterações da Lei nº 11.324, de 19 de julho de 2006, e da Constituição Federal, com as seguintes cláusulas e condições:

1ª CLÁUSULA – O (a) empregado (a) acima nominado se obriga a prestar serviços domésticos que vierem a ser objeto de ordens, verbais ou escritas, segundo as necessidades do (a) empregador (a), desde que compatíveis com as suas atribuições, na residência deste (a), mediante o pagamento do salário mensal de R$ (…), (valor por extenso), sujeitando-se, contudo, aos descontos legais e adiantamentos recebidos, a ser pago até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencido.

Parágrafo Único – São considerados serviços domésticos, dentre outros, as atividades de preparo de refeições, assistência às pessoas, cuidados com peças do vestuário, arrumação, faxina, cuidado com plantas do ambiente interno e animais domésticos.

2ª CLÁUSULA - A prestação do serviço se dará de segunda-feira a sábado, no horário de ...... às ......, com intervalo de ....... Às ......, perfazendo a jornada de 8 horas diárias e de 44 horas semanais (se houver necessidade de horas extraordinárias, deverá ser celebrado acordo de prorrogação de jornada).

Parágrafo Único – O(a) empregado(a) terá direito ao seu repouso semanal remunerado, que será concedido preferencialmente aos domingos (observar a periodicidade legal coincidente com o domingo), como também ao gozo dos feriados civis e religiosos (1º de janeiro, Sexta-Feira da Paixão, 21 de abril, 1º de maio, 7 de setembro, 12 de outubro, 2 de novembro, 15 de novembro 25 de dezembro e os declarados em lei), sem prejuízo de sua remuneração, podendo, se houver trabalho nesses dias, ser concedida folga compensatória ou efetuado o pagamento correspondente.

3ª CLÁUSULA – Ficará a cargo do (a) empregador (a) doméstico (a) a decisão acerca de eventual uso de uniforme pelo (a) empregado (a) domestico (a).

4ª CLÁUSULA - Sempre que causar algum prejuízo, resultante de alguma conduta dolosa ou culposa ficará obrigado (a) o (a) empregado (a) a ressarcir o (a) empregador (a) pelos danos causados.

5ª CLÁUSULA - O prazo deste contrato é de 30 dias, a título de experiência, podendo ser prorrogado por mais (30 ou 60) dias (desde que a soma desses períodos não exceda de 90 dias), se rescindido, neste prazo, não haverá cumprimento ou indenização do aviso prévio.

Parágrafo único - Permanecendo o (a) empregado (a) a serviço do (a) empregador (a) após o término do período de experiência, continuarão em vigor por prazo indeterminado as cláusulas constantes deste contrato.

Por estarem de acordo, firmam o presente contrato de trabalho doméstico, para que passa produzir seus efeitos legais.


.............................., ............../................/.....................


_______________________________                         

(Nome) – empregador doméstico

________________________________

(Nome) – empregado doméstico

Origem do Serviço Doméstico

A origem do serviço doméstico se confunde com a origem dos lares, da ocupação do homem na terra e da necessidade de organização e arrumação desses lares. 
Não podemos dizer ao certo quando esse serviço começou a ser feito, mas a primeira forma dele está diretamente ligada ao sistema escravocrata de trabalho. 
Desde os tempos da Grécia antiga e dos faraós egípcios, o trabalho doméstico vem sendo feito por escravos ou empregados no mundo todo. 
No Brasil, historicamente, essa relação é demonstrada primeiro através das kunhãs (mulheres indígenas que no início da colonização auxiliavam os europeus - novos moradores da terra - nos cuidados domésticos e no entendimento da terra e seu cultivo) e logo depois, com as africanas trazidas pela escravidão, melhor adaptadas ao serviço (comparadas à rebeldia do povo indígena), chamadas mucamas. 
Hoje, o serviço da empregada doméstica não mais se compara aos tempos escravocratas. Sua presença é fundamental para o bom funcionamento dos lares e, através dos tempos, essa relação passou até dos moldes empregatícios tradicionais - muitas assistentes domésticas são consideradas como membros das famílias que elas cuidam e acompanham ano após ano. 
Além disso, o status da categoria atingiu também elevação econômica: muitas das empregadas domésticas hoje recebem salários altíssimos, falam mais de uma língua e têm condições de escolha em sua profissão - trabalhar durante o dia ou à noite, em apenas um setor (cozinha ou arrumação ou lavanderia...), no Brasil ou no exterior e etc. 
Portanto, atualizar-se através de cursos específicos aumenta a possibilidade de sucesso na profissão, trazendo maiores probabilidades de crescimento no caminho do profissionalismo doméstico. 
Um dos diferenciais da empregada doméstica pode ser dentro da cozinha, com a especialização em forno e fogão. 
Atualmente, um bom profissional de cozinha recebe destaque na concorrência com outros profissionais. Ter condições de assessorar as refeições diárias de uma família engrandece a importância da empregada doméstica, trazendo o crescimento progressivo desse profissional. 

Portanto, lembre-se: o trabalho da cozinheira doméstica é crucial para o bom funcionamento dos lares, sendo que sua função é fundamental e importantíssima para a sociedade. Tenha orgulho do seu papel!

FONTE: Supervisão Geral do Abastecimento / ABAST


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores

Arquivo do blog

Visualizações

Origem dos Visitantes

free counters