Descrição do Blog

O Blog da Empregada Doméstica, é uma sugestão onde você empregada doméstica e empregador podem encontrar dicas de contratação, de entrevistas, de limpeza, de organização, de culinária. Seja portanto bem vindo (a) ao nosso blog!

20 janeiro 2016

Aguarde! Em breve estaremos com mais uma opção: sistema online de currículos

Em breve ofereceremos também o sistema de banco de currículos online.
Para Empresas:
Que buscam candidatos em qualquer parte do país.

Para Candidatos: 
Que procuram uma colocação. 
Seja qual for a sua profissão organize o seu curriculo para enviar para o nosso sistema pois temos uma grande rotatividade de vagas. 
E para enviar o seu curriculo é gratis. 

Portanto, vá preparando o seu currículum. Nas postagens seguintes daremos boas dicas para fazer um bom currículum

13 janeiro 2016

Contrate e Ganhe

Ao contratar empregados domésticos pela nossa empresa, oferecemos um curso de:

  • Postura Profissional
  • Postura e atendimento profissional;
  • Apresentação e asseio pessoal
  • Apostila Curso para Doméstica
Para as candidatas contratadas.
Apostila Culinária Fácil


  • Higiene e aspecto pessoal
  • Planejamento básico de cardápio
  • Receitas Trivial Variado


11 janeiro 2016

Cabelo na comida é anti-higiênico ou é só nojento?

Encontrar um cabelo em seu prato de comida é, sem dúvida, muito nojento e potencialmente um grande auxiliar da sua dieta.
Só que não é uma grande ameaça para a saúde. Tanto que órgãos como a Administração de Drogas e Alimentos (FDA, na sigla em inglês) americana não coloca um limite de quantidade de cabelo que pode ser encontrado na comida nas diretrizes do seu código alimentar. A FDA diz nunca ter recebido nenhum relato de pessoas ficando doentes por ingerir cabelo humano.
De acordo com a dermatologista Maria Colavincenzo, da Universidade Northwestern (EUA), o cabelo é feito de uma proteína chamada queratina, que é quimicamente inativa e não causa quaisquer problemas se digerida.

É possível que a bactéria estafilococos, que pode causar problemas de estômago levando a um caso de diarreia, pegue uma carona em um fio de cabelo, mas isso é muito improvável. “A pequena quantidade de estafilococos que pode se esconder em um ou dois fios de cabelo não é suficiente para levar a problemas gastrointestinais”, diz a especialista.

O único cenário real em que o cabelo seria uma verdadeira ameaça é se alguém comesse muito – tipo o tanto que há na nossa cabeça. Grandes quantidades do material pode fazer para a nossa digestão o que faz para o ralo do chuveiro. Longos tufos de cabelo podem formar tricobezoares (massas sólidas não digeríveis) no estômago, causando dor abdominal e outros sintomas.

Aliás, a chocante verdade é que você pode ter comido cabelo hoje. Muitos fabricantes de alimentos usam L-cisteína, um aminoácido da queratina, para estabilizar seus produtos e “ativar” as papilas gustativas que detectam sabores salgados (em pães, por exemplo, é comum seu uso – o McDonald’s é um dos adeptos).

Apesar de algumas empresas usarem L-cisteína sintética ou extraída a partir de penas de pato, outras a derivam de cabelo humano. Esse processo é higiênico, já que os fabricantes fervem o fio de cabelo em ácido clorídrico para extrair a substância.

E, apesar de ser nojento, o cabelo é uma das coisas menos nojentas que você pode encontrar na sua comida – o FDA também acha ok ter até duas larvas por lata de molho de tomate, e diversos outros aditivos no mínimo questionáveis são usados para fabricar produtos que comemos diariamente. [POPSCI]

20 dezembro 2015

7 produtos que podem deixar sua casa mais poluída que a rua

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA afirma que o ar que respiramos dentro de casa pode ser até cinco vezes mais poluído do que o ar exterior.

Como assim?

Não estamos falando de fumo passivo ou fungos. É claro que eles prejudicam a qualidade do ar interior, mas existem muitas fontes de poluição não tão óbvias que podem tornar a atmosfera de sua casa perigosa. Como: 

  • 1. Velas
Velas, de qualquer tipo, podem encher sua casa com gases e sedimentos nocivos. Durante a combustão, elas liberam partículas de fuligem de carbono que se espalham pelo ar e podem levar a problemas respiratórios.

A pior é a vela de parafina. A parafina é um subproduto do petróleo, carvão ou xisto esbranquiçado em lixívia industrial, coisa que o infunde com dioxinas. Outro produto químico, acroleína, um composto ligado ao risco de câncer do pulmão, é adicionado à cera como agente de solidificação.

Enquanto a indústria da vela insiste em que o produto final não é nocivo, estudos têm mostrado que a queima de velas de parafina pode liberar grandes quantidades de benzeno e tolueno, ambos agentes cancerígenos conhecidos.

Adicione a essa mistura já perigosa corantes artificiais e fragrâncias sintéticas, que contêm plastificantes e solventes tóxicos, e a combinação não é nada boa.

Se você não pode viver sem velas, considere as “menos piores”, que são as feitas de cera de abelha ou óleos vegetais, com corantes e perfumes naturais.
  • 2. Tapetes
O cheiro de tapete novo vem da gasificação de perigosos compostos orgânicos voláteis (COVs), incluindo tolueno, bromo, benzeno, formaldeído, etilbenzeno, estireno e acetona. Exposição rotineira a esses produtos químicos pode causar dores de cabeça, irritação nos olhos e na garganta, alergias, confusão e sonolência a curto prazo, e comprometimento da memória e aprendizagem, defeitos de nascimento, diminuição da fertilidade, doenças do fígado, da tireoide, dos ovários, rins e sangue a longo prazo. Tapetes sintéticos que contêm fibras de nylon e de olefinas são geralmente os piores.

O benzeno é um carcinógeno humano conhecido e o formaldeído é provavelmente carcinógeno também. Alguns novos tapetes ainda contêm naftaleno, químico à prova de traça que pode produzir reações tóxicas especialmente em recém-nascidos. Alguns tapetes possuem também p-diclorobenzeno, um carcinógeno conhecido por produzir anomalias fetais quando testado em animais.

Tapetes velhos já não soltam esses gases perigosos, mas ácaros e seus excrementos começam a habitá-los ao longo do tempo. Isso pode causar reações alérgicas graves em muitas pessoas – os pesquisadores estão começando a correlacionar exposição aos ácaros à asma. Poeira doméstica também pode ter níveis elevados de chumbo, já que o metal ainda permeia nosso solo desde a época em que tinta e gasolina com chumbo eram permitidas.

Por fim, os próprios seres humanos adicionam toxinas a seus tapetes quando andam sobre eles com os sapatos vindos da rua, carregados de sujeira contaminada. E quase qualquer substância tóxica que usamos em casa – tintas, sprays, pesticidas, velas, fuligem – pode estabelecer-se nas fibras do tapete e depois se espalhar para o ar.

Se não quiser desistir dos seus tapetes, considere investir em um aspirador de pó de qualidade que ajude a remover muitas das toxinas sem jogá-las de volta para o ar.
  • 3. Fogão
Fogões a gás são particularmente preocupantes uma vez que emitem mais dióxido de nitrogênio, um gás altamente reativo criado quando o combustível é queimado a altas temperaturas. O dióxido de azoto, um agente oxidante forte, mistura-se com o ar para criar o ácido nítrico e nitratos orgânicos tóxicos. Estes podem irritar os pulmões e baixar a resistência a infecções respiratórias, como a gripe. A exposição frequente a concentrações mais elevadas do que as normalmente encontradas no ambiente pode causar doenças respiratórias agudas em crianças.

A solução para minimizar a exposição ao dióxido de nitrogênio é simples. Certifique-se a cozinha esteja bem ventilada durante o cozimento de alimentos e vários minutos depois. Invista em um exaustor de alta qualidade. Se ventilação artificial não for possível, tente cozinhar com janelas próximas abertas.
  • 4. Produtos de limpeza
A limpeza de sua casa é importante para a qualidade do ar, uma vez que remove poeira, mofo e outras partículas. No entanto, paradoxalmente, muitos produtos de limpeza incluem substâncias químicas nocivas.

Até mesmo produtos de limpeza rotulados como “orgânicos” podem conter ingredientes que causam problemas de saúde. Notavelmente, fragrâncias cítricas naturais podem reagir com o ar e produzir poluentes perigosos.

Mas os produtos de limpeza convencionais são ainda piores, pois podem conter solventes baseados em álcool, cloro, amônia ou petróleo, todos com potenciais efeitos negativos, incluindo irritação dos olhos ou garganta e dores de cabeça. Alguns liberam substâncias perigosas que podem contribuir para problemas respiratórios crônicos e exacerbar alergias e a asma, como a maioria dos aerossóis, produtos de limpeza para tapetes e estofados, polidores e limpadores de forno.

A água sanitária não fica muito atrás. Misturá-la com qualquer produto de limpeza ácido como amônia ou vinagre pode criar gás cloro, que por sua vez pode causar problemas de saúde imediatos, até mesmo morte, se inalado.

Considere o uso de produtos menos tóxicos como o peróxido de hidrogênio (para higienização, remoção de manchas e branqueamento), óleo de Melaleuca e água (para remoção do mofo e como desinfetante) e vinagre branco (para limpeza de vidros e telhas).
  • 5. Tinta
Pinturas velhas podem danificar os pulmões e até o cérebro se contiverem chumbo, que foi proibido no final de 1970. Como neurotoxina potente, a substância ainda pode causar problemas mesmo décadas após uma sala ter sido pintada com tinta de chumbo.

Tintas mais recentes também criam alguns riscos para a saúde, já que muitas contêm COVs e podem exalar gases durante semanas ou meses depois de um local ser pintado. Os riscos a curto prazo destes vapores de tinta são dores de cabeça, tonturas, náuseas, exacerbação da asma, fadiga, alergias de pele, confusão e diminuição da memória.

Ao comprar tinta, procure marcas com níveis mais baixos de COVs.
  • 6. Ambientadores ou odorizadores
É melhor mau cheiro a poluição: enquanto encobrem odores ruins, ambientadores podem emitir poluentes tóxicos que levam a riscos de saúde.

Muitos contêm quantidades significativas de éteres de glicol à base de etileno, conhecidos por criar efeitos neurológicos e sanguíneos, incluindo fadiga, náuseas, tremores e anemia. Estes éteres são classificados como poluentes atmosféricos perigosos.

Alguns produtos ainda contêm ftalatos, uma família comum de químicos domésticos muitas vezes usados para suavizar plásticos. Eles são disruptores endócrinos e podem ser especificamente prejudiciais para recém-nascidos que ainda não desenvolveram sistemas endócrinos. Os ftalatos também têm efeitos notáveis sobre os órgãos sexuais masculinos em desenvolvimento e estão ligados a genitália masculina anormal, má qualidade do sêmen e baixos níveis de testosterona.
  • 7. Purificadores de ar
Purificadores de ar não só removem toxinas, como as liberam também, na forma de grandes quantidades de ozônio na atmosfera.

O ozônio irrita enormemente o pulmão, e exposição constante ao gás tem sido associada à exacerbação de doenças pulmonares crônicas como bronquite crônica, enfisema e asma. Ele também pode ser prejudicial para crianças e até formar cicatrizes nos seus pulmões durante o desenvolvimento precoce. [Alternet]